Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Casais felizes sem filhos

por ✿ Mamã Curiosa Mariada, em 22.05.14
Casais felizes sem filhos
"Têm mais tempo e dinheiro para tudo: namorar, viajar, investir na carreira ou dormir até tarde. Não têm crianças por opção e são cada vez mais em Portugal."

Ainda não tive possiblidade de ler o artigo de capa desta semana da Sábado, mas tenciono ler. Acredito, claro, que é possível um casal ser feliz sem filhos. Tudo depende da personalidade da pessoa, dos seus interesses e prioridades. No meu caso, eu era feliz antes de ter a minha filha. Sou muito mais feliz e realizada agora, é certo, mas antes, como não conhecia o grau e a amplitude deste amor, era feliz. Numa analogia materialista, era "feliz" quando tinha o meu Samsung Galaxy Ace, mas sou muito mais "feliz" agora que tenho um iphone!

Como não li o artigo ainda, não sei qual a orientação do mesmo, mas é inevitável pensarmos na comparação de quem é mais feliz. A ajudar à festa, quando estava a procurar mais informações sobre este artigo, encontrei este estudo que diz que: "Casais sem filhos são mais felizes no casamento". É verdade, que a chegada de um filho é um teste de fogo para uma relação. Envolve muita ajuda, exige muita compreensão e pode muitas vezes levar a rupturas. Mas também pode levar a uma maior coesão da relação. Na minha opinião, se a relação não resistiu à presença contante de um filho é porque não era forte o suficiente e que, numa alguma altura mais exigente da vida, teria o mesmo desfecho. Porque a vida, mesmo sem filhos, possui as suas exigências familiares. Podemos ter de ajudar um familiar doente ou dar mais atenção aos pais ou aos avós e aí, o outro cônjuge (não sei porquê mas detesto esta palavra) necessita de compreender esta exigência e de nos apoiar convenientemente.

Em relação aos casais sem filhos terem mais tempo e dinheiro para viajar, investir na carreira e dormir até mais tarde, não concordo totalmente. Envolve uma maior logística, é certo, mas os casais com filhos conseguem conciliar estes dois mundos, se o quiserem. Gostávamos, por vezes, de ter mais tempo para nós próprios ou para momentos a dois, mas quando os avós se propõem a ficar com os netos uma tarde ou um fim-de-semana, não queremos (esta é uma grande falha minha, confesso). Afinal, o que nos limita, está essencialmente no nosso entendimento. Por receio do que os familiares vão pensar ou por teimosia não aceitamos. Basta pensarmos no quanto o William e a Kate foram criticados por terem ido de férias sem o filho... Críticas essas, que devem ser endereçadas aos pais que maltratam os seus filhos e não a quem age em função do seu amor por eles. E se pensarmos bem, às vezes também somos nós que achamos que vai ser complicado viajar com o bebé ou criança e criamos todo um conjunto de problemas e resultado, acabamos por não viajar ou sair...

Quanto ao dinheiro, acho que, se já não podemos ir para um destino paradisíaco longínquo, vamos para a Europa, onde as viagens são mais baratas e onde existem sítios igualmente maravilhosos para conhecer. Ou se já não conseguimos ir uma semana para um resort no Algarve, podemos ir 15 dias para um parque de campismo na Costa da Caparica, porque em boa companhia estamos bem em qualquer lado. E se não estamos, o problema não é do local, é da nossa cabeça. Em suma, acredito piamente que as pessoas mais descontraídas e que se importam menos com as opiniões alheias são as mais felizes e não aquelas que não tem filhos.

Sei também que é fácil esquecermo-nos de trabalhar a relação quando nasce um filho, mas com o tempo voltamos ao equilíbrio. E a dois, com uma boa dose de diálogo, conseguimos compreender e ultrapassar esse facto. Com a calma que vamos ganhando, acabamos por olhar para aquela pessoa e ver nela toda uma ternura, uma abnegação constante do seu descanso e bem-estar em função daquele pedaço de amor que também é a nossa vida. E essa capacidade de ter e dar amor, apesar das dificuldades, logísticas ou financeiras, que é uma das maiores qualidades de um ser humano, faz-nos sentir uma admiração tremenda e a convicção de que o amamos ainda mais do que antes de ter um filho.

Autoria e outros dados (tags, etc)


4 comentários

Imagem de perfil

De Maria João Costa a 23.05.2014 às 00:23

:) Gostei do teu post e concordo contigo. Acho que ser mais feliz com ou sem filhos depende mesmo do feitio das pessoas e dos objectivos pessoais. Mas quando se tem um filho, a vida muda totalmente, é certo que não podemos fazer algumas coisas com eles, mas podemos fazer outras tantas que são tão ou mais divertidas e nos fazem felizes. :) Eu quero que a minha filha faça parte dos meus planos de viajar, e é claro, como dizes, não faço uma viagem cara, faço uma mais barata ali ao país vizinho, por exemplo!
Beijinhos
Imagem de perfil

De Mamã Curiosa Mariada a 23.05.2014 às 08:57

Pois é, depende de nós mesmos sermos mais felizes, com a certeza de que temos uma pequena (mas enorme) razão para sorrir ainda mais :) beijinhos
Sem imagem de perfil

De Pedro a 24.09.2014 às 09:20

Bom dia. Em suma, ninguem que comentou o artigo, leu o artigo. Entao e se antes de comentarem lessem um pouco mais sobre o assunto? Como por exemplo um estudo da BBC que concluiu: "Os casais sem filhos são mais felizes". Não interpretem a mal o meu comentario, mas parece-me oportuno. Parabens pelo site e outros semelhantes.
Pedro.
Imagem de perfil

De Mamã Curiosa Mariada a 24.09.2014 às 14:00

Esse mesmo estudo da BBC foi um dos que mencionei no meu post (com link). E sim, referi que escrevi antes de ler o artigo da Sábado.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Parceiros

Foxlife

Top blogs de receitas

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D